Conheça os requisitos para participar do FIES

O Financiamento Estudantil do Ensino Superior (FIES) é um programa criado pelo Governo Federal para oportunizar aos estudantes que não têm como arcar um curso superior a chance de cursar uma graduação por meio de uma linha de financiamento. Destinado especialmente ao público de baixa renda, essa linha de financiamento custeada pelo governo federal pretende garantir um maior acesso à educação das famílias que possuem menos condições financeiras.

O programa paga para a instituição de ensino superior privada para receber aquele aluno, que irá devolver o dinheiro, após o término da graduação, em suaves prestações e juros baixos. Durante os estudos o aluno irá pagar apenas parcelas pequenas relacionadas aos juros do empréstimo. Entenda como funcionam os critérios de seleção e como é feita a divisão das vagas entre as faculdades.

Quem pode participar do FIES?

Pode se inscrever no processo seletivo o candidato que participou do ENEM, a partir da edição de 2010 e tenha obtido média aritmética das notas nas provas igual ou superior a 450 (quatrocentos e cinquenta) pontos e nota superior a 0 (zero) na redação.

Processo seletivo do FIES

O processo de seleção é realizado duas vezes por ano e tem como base o desempenho no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). O candidato precisa ter média superior aos 450 pontos na prova e não pode ter zerado na redação.

Além disso, o estudante deverá estar matriculado ou desejar se matricular em uma instituição privada que esteja cadastrada no FIES. Essa faculdade ou universidade também precisará possuir avaliação positiva nos cursos oferecidos pelo FIES para poder conceder o benefício aos seus alunos.

Antigamente era permitido que a pessoa que não fizesse Enem pudesse pleitear o financiamento estudantil. Hoje em dia, o critério de corte é o próprio exame nacional. Vale ressaltar que não há restrição de idade para participar do FIES.

O bolsista do Programa Universidade Para Todos (Prouni) também poderá pleitear o financiamento para complementar a bolsa que já recebe do governo federal para o pagamento do curso. No entanto, deve-se limitar à instituição e ao curso em que possui a bolsa, e a união dos dois benefícios não pode superar os encargos educacionais com desconto.

A inscrição para o programa é feita apenas pela internet, por meio de um cadastro a ser realizado no site do FIES. É importante ter na hora de se inscrever todas as informações sobre a faculdade, o curso e seus dados pessoais.

Veja quais são os critérios para conseguir o FIES

Licenciatura

  • Ser professor da rede pública de educação básica, em efetivo exercício, com carga horária de, no mínimo, 20 horas semanais, que cursou ou que esteja cursando licenciatura, pedagogia ou normal superior e tenha a situação de seu respectivo financiamento na condição de ativo e adimplente no agente financeiro.
  • Os meses trabalhados para fins da concessão do abatimento são todos aqueles em efetivo exercício a partir de janeiro de 2010.
  • Durante o período em que o professor fizer jus ao benefício, fica desobrigado do pagamento das prestações do financiamento.
  • A desobrigação do pagamento das prestações será mantida enquanto o professor fizer jus ao abatimento. Nesse período serão informados e validados os meses efetivamente trabalhados para fins de contagem do abatimento a ser concedido.
  • Se o valor total do abatimento não for suficiente para liquidar o saldo devedor consolidado, deverá retomar o pagamento das prestações do financiamento até a liquidação total do saldo devedor consolidado não liquidado com o valor do abatimento.
  • As Secretarias de Educação dos Municípios, Estados e do Distrito Federal deverão confirmar as informações prestadas pelo professor referentes ao efetivo exercício na rede pública de educação básica. As informações deverão ser atualizadas pelo financiado e validadas pela respectiva Secretaria de Educação a cada ano para a operacionalização do abatimento

Medicina

  • Estudante graduado em Medicina integrante de equipe da Saúde da Família oficialmente cadastrada, que atue em um dentre os 2.219 municípios selecionados como prioritários pelo Ministério da Saúde, conforme definidos pela Portaria Conjunta MEC — Ministério da Saúde nº 2, de 25 de agosto de 2011.
  • Pela regra, a solicitação do abatimento deve ocorrer a partir de 1 (um) ano de trabalho ininterrupto como médico integrante de equipe de saúde da família oficialmente cadastrada.
  • A desobrigação do pagamento das prestações será mantida enquanto o médico fizer jus ao abatimento. Nesse período, serão informados e validados os meses efetivamente trabalhados para fins de contagem do abatimento a ser concedido.
  • Se o valor total do abatimento não for suficiente para liquidar o saldo devedor consolidado, deverá retomar o pagamento das prestações do financiamento até a liquidação total do saldo devedor consolidado não liquidado com o valor do abatimento.
  • Dezenove especialidades médicas previstas: anestesiologia, cancerologia, cancerologia cirúrgica, cancerologia clínica, cancerologia pediátrica, cirurgia geral, clínica médica, geriatria, ginecologia e obstetrícia, medicina de família e comunidade, medicina intensiva, medicina preventiva e social, neurocirurgia, neurologia, ortopedia e traumatologia, patologia, pediatria, psiquiatria e radioterapia. As áreas de atuação prioritárias são cirurgia do trauma, medicina de urgência, neonatologia e psiquiatria da infância e da adolescência.